Feira das Ciências

O Liceu Jardim sediará, no dia 30 de setembro, uma Feira das Ciências diferente. Ao utilizar a expressão “Feira das Ciências” e não “de Ciências”, como normalmente o evento é conhecido, procuramos deixar claro que o projeto envolve não somente as Ciências da Natureza, como também as Ciências Humanas e ainda a Matemática.

Como colégio integrante do Programa das Escolas Associadas à UNESCO, a Feira das Ciências está relacionada a 16 das 17 metas estabelecidas pela ONU como prioridade para as nações.

As metas fazem parte de uma agenda lançada em setembro de 2015 por 193 países membros da ONU, que, desde então, têm orientado suas decisões seguindo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS.

Os Estados e a sociedade civil discutiram seus papéis para atingir os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030. Mas qual o papel de cada cidadão nessa jornada? Ao pensar e propor soluções para que as metas sejam atingidas, o principal objetivo da Feira das Ciências é nortear essa resposta.

Entre os trabalhos em desenvolvimento, há pesquisas sobre “Cidades e Comunidades sustentáveis”, “Fome Zero e Agricultura Sustentável”, “Emprego Digno e Crescimento Econômico”, “Combate às Mudanças Climáticas”, “Energia Limpa e Acessível”. Fora algumas surpresas, como o protótipo de um HPA funcional - aeronave movida exclusivamente por potência humana ou “Human-Powered Aircraft” - que os visitantes poderão acionar por meio de pedais e está aliado ao tema “Indústria, Infraestrutura e Inovação”.

Na construção e execução da ideia, os estudantes desenvolvem a criatividade e, muitas vezes, descobrem e trabalham talentos. De acordo com a coordenadora do projeto, professora Michele Rascalha, mestre em História, Ensino e Filosofia das Ciências pela UFABC e diretora de Tecnologia Educacional no colégio, a trilha da pesquisa está presente em todas as áreas do conhecimento e precisa ser incentivada desde cedo. “Formular perguntas e investigar hipóteses por meio de consultas bibliográficas, experimentos, levantamentos de dados, entrevistas e construção de modelos são exercícios fundamentais para o desenvolvimento do pensamento crítico e científico. Além disso, nossa proposta oportuniza a reflexão sobre as questões globais mais urgentes de nosso tempo e contribui para o letramento digital, uma vez que mobiliza o uso dos recursos digitais em prol da pesquisa e da criação de conteúdos interativos para o evento.”, diz.